NOTÍCIAS
 
29/05/2019
9 fatos que você não sabia sobre as patinhas de cachorro


Não é só pela obediência que o famoso truque canino de dar a pata é tão amado. As patinhas de cachorro são realmente impressionantes e muitos tutores não resistem a observar, segurar e — pode admitir — até dar uma fungadinha nelas de vez em quando.

 

Já que elas são tão fascinantes, por que não saber um pouco mais sobre esses membros essenciais? O bom é que, de quebra, ainda ensinamos alguns cuidados para manter as patinhas dos cachorros sempre saudáveis e funcionais. A seguir, confira nove curiosidades sobre elas!

 

1. Elas são antitérmicas

Não, o objetivo das almofadinhas (ou coxins, para usar um termo técnico) não é nos matar de fofura. Além de dar apoio ao corpo — mais ou menos como a palma das nossas mãos e a planta dos pés — elas também são mais resistentes a baixas temperaturas. Conforme explica médica-veterinária da Petz, Dra. Tuany Fialho, “elas possuem uma pele mais espessa, composta por uma quantidade maior de queratina e gordura que a pele normal”. E é por isso que muitos cães podem, inclusive, andar na neve!

 

2. Mas elas podem sofrer com queimaduras

A camada de gordura presente nas almofadinhas também permite que os cães resistam melhor quando o chão está quente. Mas isso não significa que você possa deixar o pet caminhar no asfalto sob o sol do meio-dia! Apesar de mais grossa, a pele dos coxins também está sujeita a sofrer queimaduras, com bolhas e até feridas. Quando são, de alguma forma, machucadas, elas causam muita dor e dificultam a locomoção do cachorro. Sendo assim, para evitar problemas, procure passear com seu amigo sempre antes das 10h e depois das 16h.

 

3. As patinhas de cachorro também precisam de hidratação

Mesmo respeitando os horários de passeio, muitos tutores se dão conta de que, com o tempo, as almofadinhas vão ficando mais secas e até com aspecto esbranquiçado. É que, embora existam justamente para suportar diferentes temperaturas, os coxins também passam por um processo de ressecamento. Até porque, hoje em dia, é mais comum que os cães andem sobre um solo áspero e quente, como o asfalto, do que em gramados, terra, etc. Para assegurar mais conforto a seu filho de quatro patas, uma dica é apostar nos hidratantes de coxins! Lembre-se que os cuidados com pata de cachorro podem fazer toda a diferença em sua rotina.

 

4. Os cachorros suam por meio delas

Muita gente não sabe, mas as patinhas dos cachorros possuem glândulas de suor, o que significa que eles suam por meio delas. “De acordo com a temperatura do ambiente e corporal, elas podem ser uma forma de equilíbrio dessa temperatura, ajudando o corpo a estabilizá-la”, explica a Dra. Tuany. No entanto, esse não é o principal método de resfriamento do organismo dos cachorros. Esse papel é desempenhado pela boca, quando o pet começa a arfar.

 

5. Cachorro com chulé?

Aquele cheirinho que muitos tutores juram sentir ao dar uma fungada nas patinhas dos cachorros, de fato, pode ser considerado chulé. “Dependendo do equilíbrio de temperatura corporal, a região entre os coxins pode ficar úmida, gerando aumento na proliferação de micro-organismos e, consequentemente, o odor fica mais perceptível”, esclarece a veterinária.

 

Para evitar ter ao seu lado um cachorro com chulé, nada de bicarbonato de sódio, amido de milho ou outras receitas caseiras. “A higiene diária e adequada dos coxins e entre os dedinhos ajuda a controlar o odor”, diz a Dra. Tuany. Por isso, procure limpá-los após os passeios e aposte no uso de hidratantes, que ajudam a remover a pele morta.

 

6. Cães também têm dedos (e até um princípio de dedão)

Você já se perguntou qual é o nome das estruturas nas quais nascem as unhas dos cães? Elas são chamadas de falanges dos dedos, em linguagem popular. Em geral, cachorros têm 5 dedos em cada pata dianteira e 4 dedos em cada pata traseira, embora alguns pets também possuam o quinto dedo também atrás. “Apesar dos cães não poderem articular os dedos como nós, eles são de extrema importância, pois sustentam o peso do pet e fornecem equilíbrio durante a locomoção”, explica a Dra. Tuany. Sobre o quinto dedo, ele é chamado de ergô e, embora não seja tão importante para o equilíbrio, é muito usado por alguns cães para segurar melhor ossinhos, brinquedos, etc.

 

7. E andam na ponta desses dedos

Exceto quando estamos focados em não fazer muito barulho por algum motivo, nós apoiamos nosso peso no calcanhar quando andamos. Já os cachorros, são animais digitígrados (que andam sobre os dedos). Boa parte dos mamíferos é digitígrada, mas, além dos seres humanos, existem outras espécies plantígradas (que se apoiam nos calcanhares), como ursos, coelhos e cangurus.

 

8. As patinhas podem ajudar a identificar o estresse

Cachorros estressados, entediados ou ansiosos tendem a desenvolver certos comportamentos, como a lambedura excessiva da patinha. Fique atento, pois além do estresse trazer prejuízos para a saúde, o hábito de lamber repetidamente as próprias patas também pode causar feridas. Portanto, se observar esse comportamento, procure identificar a causa, passeie mais e capriche nas brincadeiras.

 

9. Existem diferentes tios de patinhas de cachorro

Quem já conviveu com cães de diferentes raças deve ter percebido que as patinhas não são todas iguais. E acredite: as diferenças vão muito além de largura e comprimento! Isso porque, cada raça foi desenvolvida para se adaptar melhor a determinada função e ambiente. Entre os exemplos mais impressionantes, estão as patas palmadas (pés de pato), dos cães nadadores, como o cão d’água português e o newfoundland. Já cães de corrida, como whippet e galgo, têm patas como as de coelho, com os dois dedos centrais mais compridos.

 

Fonte: Petz (clique e veja a matéria)

 
 
 
R. Dona Luísa de Gusmão, 1.753 | Vila Nogueira | Campinas/SP | Tel.: (55.19) 3207.2077 | CEP 13088-028
Biopet, desde 2013. Todos os Direitos Reservados. Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização. Criado por DRW Integrada
 
Produtos
Institucional
 
Mundo Pet
Contato
 
Redes Sociais